Farra do Boi

maio 19, 2009

A Farra do Boi foi introduzida em Santa Catarina pelos açorianos há cerca de 250 anos. Seria a reencenação da Paixão de Jesus, em que o boi representaria Judas (o traidor). Outros acreditam ainda que o animal represente o demônio e, torturando o diabo, purificam-se de seus pecados. Em alguns municípios os organizadores não dão água ao boi, que fica solto nas ruas até sua morte. Depois, ainda é crucificado no cansaço e celebrado. Antes era realizada apenas na época da Páscoa, agora, aos sábados, ou para comemorar casamentos, aniversários e outras datas “especiais”.
Hoje em dia, a Farra do Boi não tem nenhuma conotação religiosa. Para as pessoas que moram na área litorânea, onde a barbárie acontece, esta barbárie é apenas uma oportunidade para se fazer uma festa e de se ganhar algum dinheiro extra, pois alguns moradores aproveitam para vender bebidas e petiscos para os participantes.

A realidade

Apesar da proibição, todos os anos centenas de bois são torturados e mortos em diversas comunidades de Santa Catarina. Em outros estados, a prática é duramente criticada.

A Farra começa quando o boi é solto e perseguido pelos “farristas” (homens, mulheres e crianças), que carregam pedaços de pau, facas, lanças de bambu, cordas, chicotes e pedras. Eles perseguem o boi, que, no desespero de fugir, corre em direção ao mar, onde acaba se afogando; ou em direção às vilas, podendo invadir casas, hotéis ou qualquer lugar onde o animal possa se abrigar. Quando isso acontece, é comum pessoas serem feridas e terem danos materiais.

Antes do evento, o boi é confinado, sem alimento disponível, por vários dias. Para aumentar o desespero do animal, comida e água são colocados num local onde ele possa ver, mas não possa alcançar.

Leis

Além da Lei Federal 9.605/98, que prevê em seu artigo 32, que é proibido “praticar ato de abuso, maus-tratos, ferir ou mutilar animais silvestres, domésticos ou domesticados, nativos ou exóticos”, impondo pena de detenção e multa, sendo aumentadas até um terço se ocorre a morte do animal, a Farra do Boi foi expressamente proibida através de Recurso Extraordinário número 153.531-8/SC; RT 753/101 em território catarinense, por força de acórdão do Supremo Tribunal Federal, na Ação Civil Pública de n.o 023.89.030082-0. Conforme decidiu o Supremo Tribunal Federal, a Farra do Boi é intrinsecamente cruel, é crime, punível com até um ano de prisão, para quem pratica, colabora, ou no caso das autoridades, omite-se de impedi-la.

O Que fazer
– Não participe desta barbárie;
– Conscientize as pessoas a não participarem;
– Imprima panfletos educacionais e distribua o máximo que puder:
Clique Aqui <http://www.pea.org.br/educativo/pdf/panfleto_farra.pdf&gt;;
– Denuncie, chame a polícia e faça um TC (cite o Art. 32 da Lei Federal de Crimes Ambientais 9.605/98);
– Fotografe e/ou filme os animais e as pessoas antes, durante e depois da farra – provas e documentos são fundamentais para combater transgressões.
Se você mora em Santa Catarina:
– Em Santa Catarina a farra do boi é proibida (Recurso Extraordinário número 153.531-8/SC; RT 753/101). Denuncie para o Disque-Denúncia (0800-481717)

Uma resposta to “Farra do Boi”

  1. Cati said

    Oii,
    sou apaixonada por animais e sempre quiz fazer medicina veterinaria… mas por ter que seguir o negocio da familia nao pude. Gostaria de saber se existe como eu ajudar a acapra… fazer trabalhos voluntários, participar de eventos.. Quero entrar nesse ramo que tanto gosto.
    Se puder fazer algo, por favor entrem em contato comigo.
    Obrigada,
    Um abraço.

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: