Defesa dos inocentes

junho 30, 2009

Esse vídeo é da campanha de proteção aos animais realizada pela WSPA canadense.

Todos podemos mudar a realidade desses inocentes seres que precisam de atenção, respeito e amor!

Para pensar!

Farra do Boi

maio 19, 2009

A Farra do Boi foi introduzida em Santa Catarina pelos açorianos há cerca de 250 anos. Seria a reencenação da Paixão de Jesus, em que o boi representaria Judas (o traidor). Outros acreditam ainda que o animal represente o demônio e, torturando o diabo, purificam-se de seus pecados. Em alguns municípios os organizadores não dão água ao boi, que fica solto nas ruas até sua morte. Depois, ainda é crucificado no cansaço e celebrado. Antes era realizada apenas na época da Páscoa, agora, aos sábados, ou para comemorar casamentos, aniversários e outras datas “especiais”.
Hoje em dia, a Farra do Boi não tem nenhuma conotação religiosa. Para as pessoas que moram na área litorânea, onde a barbárie acontece, esta barbárie é apenas uma oportunidade para se fazer uma festa e de se ganhar algum dinheiro extra, pois alguns moradores aproveitam para vender bebidas e petiscos para os participantes.

A realidade

Apesar da proibição, todos os anos centenas de bois são torturados e mortos em diversas comunidades de Santa Catarina. Em outros estados, a prática é duramente criticada.

A Farra começa quando o boi é solto e perseguido pelos “farristas” (homens, mulheres e crianças), que carregam pedaços de pau, facas, lanças de bambu, cordas, chicotes e pedras. Eles perseguem o boi, que, no desespero de fugir, corre em direção ao mar, onde acaba se afogando; ou em direção às vilas, podendo invadir casas, hotéis ou qualquer lugar onde o animal possa se abrigar. Quando isso acontece, é comum pessoas serem feridas e terem danos materiais.

Antes do evento, o boi é confinado, sem alimento disponível, por vários dias. Para aumentar o desespero do animal, comida e água são colocados num local onde ele possa ver, mas não possa alcançar.

Leis

Além da Lei Federal 9.605/98, que prevê em seu artigo 32, que é proibido “praticar ato de abuso, maus-tratos, ferir ou mutilar animais silvestres, domésticos ou domesticados, nativos ou exóticos”, impondo pena de detenção e multa, sendo aumentadas até um terço se ocorre a morte do animal, a Farra do Boi foi expressamente proibida através de Recurso Extraordinário número 153.531-8/SC; RT 753/101 em território catarinense, por força de acórdão do Supremo Tribunal Federal, na Ação Civil Pública de n.o 023.89.030082-0. Conforme decidiu o Supremo Tribunal Federal, a Farra do Boi é intrinsecamente cruel, é crime, punível com até um ano de prisão, para quem pratica, colabora, ou no caso das autoridades, omite-se de impedi-la.

O Que fazer
- Não participe desta barbárie;
- Conscientize as pessoas a não participarem;
- Imprima panfletos educacionais e distribua o máximo que puder:
Clique Aqui <http://www.pea.org.br/educativo/pdf/panfleto_farra.pdf&gt;;
- Denuncie, chame a polícia e faça um TC (cite o Art. 32 da Lei Federal de Crimes Ambientais 9.605/98);
- Fotografe e/ou filme os animais e as pessoas antes, durante e depois da farra – provas e documentos são fundamentais para combater transgressões.
Se você mora em Santa Catarina:
- Em Santa Catarina a farra do boi é proibida (Recurso Extraordinário número 153.531-8/SC; RT 753/101). Denuncie para o Disque-Denúncia (0800-481717)

Histórico

maio 19, 2009

A Acapra foi fundada em 12 de setembro de 1981 com o objetivo de divulgar e combater a farra do boi, praticada freqüentemente no litoral catarinense. Na Grande Florianópolis registra-se focos da farra do boi em Ingleses, Pântano do Sul e Rio Vermelho. Desde então, vem ganhando espaço e parcerias na luta pela proteção aos animais e ao meio ambiente.

Há 15 anos começou a prática de abandono desenfreado de animais em Florianópolis. A cidade tinha cerca de 3.000 a 11.000 animais abandonados. Uma das vitórias da Acapra foi a emissão da Lei nº 094/2001, que garantia o direito a proteção dos animais e seu controle populacional. Também abrangia o combate a zoonoses.
A criação da Coordenadoria de Proteção animal, com o obejtivo de realizar castração em massa nos animais abandonados para evitar o procriamento desacerbado desses animais.

A ONG busca parcerias com prefeituras, entidades privadas e voluntários. Atualmente, a Acapra faz campanhas de doação de animais, de arrecadação de alimentos, castração e a importâncias destes.

Dados técnicos:

ACAPRA (Associação Catarinense de Proteção aos Animais)
Data de fundação: 18/09/1981 em Florianópolis: Entidade sem fins lucrativos.
CNPJ/MF: 7965533810001-31
Tomada de utilidade pública
Estadual: Lei nº 6.235 de 16 de maio de 1983
Municipal: Lei nº 5.598 de 1999
Dirigente Atual: Heliete Marly Filomeno Leal

Principais atividades desenvolvidas:

Elaboração e Implantação do programa: “Controle da População de Animais Domésticos” (cães e gatos) na Região Metropolitana de Florianópolis.
Estabelecimento de Parcerias com as Prefeituras Municipais.
Elaboração e implantação do programa educativo “Adoção, Posse responsável e Preservação da Fauna e da Flora”.
Implantação de programa emergencial de assitência e aplicação de anticoncepcional nos animais de rua de Florianópolis;
Assistência Técnica aos vereadores para elaboração de projetos de Lei relativos aos animais;

Filiada a
:

WSPA (World Society for the protection of animals, Londres);
Animal people (USA);
Forum permanente de entidades de Proteção Animal (SP);
FEC (Federação de Entidades Ecológicas Catarinenses, SC);
ECO SUL/SC;
Grupo Nacional de Voluntários em Ação.

Castração

maio 19, 2009

O que é a Castração?

A castração consiste em uma cirurgia feita em cães e gatos, fêmeas e machos, para impedir que se reproduzam sem controle. Para cada bebê que nasce, 15 cães e 45 gatos também podem nascer. Em seis anos, uma cadela e seus descendentes podem gerar até 64 mil filhotes. No caso das gatas esse número é ainda maior. A castração é o método recomendado pela Organização Mundial de saúde e por Sociedades de Proteção Animal, como uma maneira eficaz de combater a superpopulação desses animais, pois evita o descontrole populacional e conseqüentemente o abandono.

Como funciona?

Consiste na retirada do útero, trompas e ovários, no caso das fêmeas. Nos machos, na retirada dos testículos. A cirurgia, feita com anestesia geral, é simples mas deve ser executada apenas por veterinários devidamente habilitados. Em torno de uma semana o animal estará totalmente recuperado. A castração pode ser feita a partir dos 2 meses de idade. Para as fêmeas é recomendado castrar antes do primeiro cio.

Vantagens da Castração:

1. Diminui drasticamente o risco de doenças nas vias uterinas, do câncer de mama, útero, próstata e testículos;

2. Elimina a Gravidez Psicológica, comum em algumas fêmeas após o término do cio, o que ocasiona aumento das mamas (muitas vezes com edema), a produção de leite e irritabilidade excessiva;

3. Elimina o risco do câncer dos órgãos genitais;

4. Diminui o risco das fugas e brigas, que podem acarretar acidentes graves e até fatais;

5. Acaba com os latidos, uivos e miados excessivos que ocorrem por ocasião do cio;

6. Elimina os estados de excitação por falta de cruzamento (e o embaraço com as visitas!);

7. Elimina a inconveniente perda de sangue das cadelas no período de cio, assim como as desagradáveis reuniões de machos na porta de sua residência;

8. Diminuiu o hábito dos gatos de urinar em paredes e móveis para marcar território. A urina também perde o odor forte e desagradável.

MITOS

A cirurgia de castração não faz mal ao animal: nem cães nem gatos mudam de personalidade após a castração. O que pode ocorrer é que ficando mais caseiros (não escapam para a acasalar) não gastarão tanta energia, portanto, não queimam gorduras e ganham um pouco de peso, o que é controlável com dieta saudável. A castração não traz problemas psicológicos ao animal. O animal não fica deprimido nem sente falta de sexo – eles não têm a consciência sexual dos humanos, a cópula é realizada apenas para procriação. Seu animal não tem escolha, segue apenas o instinto. É dever do proprietário intervir e prevenir nascimentos indesejados. O animal será beneficiado e não subtraído de algo.

Informações Ong Arca Brasil

Seguir

Obtenha todo post novo entregue na sua caixa de entrada.